Bolsonaro e Sérgio Moro trocam ‘carinho’ em rede social

TWITTER

No mesmo dia em que elogiou publicamente o chefe da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo , que foi ameaçado de demissão dias atrás pelo presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Justiça trocou afagos com o chefe. Por meio do Twitter, Moro publicou uma mensagem dizendo que sua pasta vai avançar no combate à corrupção “em total alinhamento com a orientação” de Bolsonaro.

Três horas depois, o presidente respondeu: “Vamos, Moro!”.

No sábado, o GLOBO revelou que Bolsonaro está insatisfeito com Moro e tenta, há algum tempo, inviabilizar a presença do ministro do governo . O presidente se irritou com Moro quando soube da movimentação do ministro contra a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, de proibir investigações iniciadas a partir do compartilhamento de relatórios detalhados do Coaf sem autorização judicial.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que ele é “quem manda”, ao comentar a substituição do superintende da PF no Rio. Depois, disse que ele escolhe o diretor-geral da corporação, rompendo com o discurso de dar “liberdade total” a Moro, usado na época do convite ao ex-juiz para o Ministério da Justiça.

Na quinta-feira passada, Bolsonaro reafirmou, numa entrevista coletiva, que o delegado Alexandre Silva Saraiva, superintendente da PF no Amazonas, substituiria o delegado Ricardo Saadi no comando da instituição no Rio de Janeiro. Se a ordem não fosse obedecida, ele afirmou que poderia afastar Valeixo da direção da PF à revelia do ministro da Justiça, responsável pela indicação do diretor-geral. Moro não rebateu o comentário do presidente. O elogio público a Valeixo desta terça-feira é a primeira manifestação do ministro em relação à fala do presidente.

Relacionadas

Ao vivo: TV Master transmite depoimento do ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, na CPI da covid; confira

A TV Master transmite nesta terça-feira (18), os depoimentos do ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo. Será cobrado pelos senadores, além de outros pontos, explicações sobre críticas à China; mobilização do Itamaraty para compra de medicamentos ineficazes contra a Covid-19; e sobre aquisição...

Veja mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *